• Biologia Evolutiva

Como propagar quatro concepções problemáticas sobre a Ciência em uma única tuitada


Por Leonardo A. Luvison Araújo



Em uma tuitada hoje (10/01/2019), o pastor Silas Malafaia conseguiu propagar quatro concepções problemáticas sobre a Ciência, provando mais uma vez seu analfabetismo científico. Vamos ver cada uma delas.



Questão 1: Hipóteses, teorias e leis são coisas diferentes e não uma série gradual de menor a maior grau de certeza


Esse mito lida com a crença geral de que a Ciência tem uma sequência de desenvolvimento que passa pelo caminho de hipóteses --> teorias --> leis.


O problema é que hipóteses, teorias e leis são tipos distintos de conhecimento. É claro que existe uma relação entre leis e teorias, mas não é o caso de que uma simplesmente se torne a outra – e isso não tem relação com quanto de evidência empírica está acumulada.


De modo simplificado, podemos dizer que Leis são generalizações, princípios ou padrões na natureza. A principal função das Teorias, por outro lado, é descrever e explicar.


Por exemplo, Newton estabeleceu a lei da Gravitação Universal, ao descrever matematicamente o seguinte principio: "Matéria atrai matéria na proporção direta das suas massas e na proporção inversa do quadrado de suas distâncias".


Enquanto a lei permite estabelecer tal regularidade, ela não nos fala por que acontece esse princípio. Podemos usar a Teoria da Relatividade Geral de Einstein para explicar o motivo das coisas caírem, por exemplo.


Questão 2: existe lei na Biologia Evolutiva sim e ela se chama “Lei de Hardy –Weinberg”



Para quem não sabe, a teoria evolutiva também tem uma lei. Ela se chama lei ou principio de Hardy-Weinberg. Os cientistas que levam o nome desta lei perceberam que se não existissem fatores evolutivos atuando sobre uma população, as frequências gênicas permaneceriam inalteradas e as proporções genotípicas atingiriam um equilíbrio estável, mostrando a mesma relação constante entre si ao longo do tempo.


Como toda a lei, essa regularidade ocorre em condições específicas. Estas condições são: a população ser muito grande, os acasalamentos serem ao acaso, todos os membros da população serem igualmente férteis e, obviamente, não existir fatores evolutivos em curso.


Uma teoria que ajuda a explicar a lei de Hardy-Weinberg é a teoria cromossômica de herança, a qual estabelece que as características dos indivíduos são condicionadas por pares de fatores (genes) que se separam durante a formação dos gametas, indo apenas um fator do par para cada gameta.


Questão 3: Tanto as teorias quanto as leis científicas podem sofrer modificações


Os cientistas coletam e interpretam evidências empíricas fazendo inferências indutivas: estabelecendo uma conclusão geral a partir de casos menos gerais. Apesar de o raciocínio indutivo não se fazer apenas por generalização, grande parte do seu uso na ciência é desse tipo.


O problema com a indução é que é impossível fazer todas as observações referentes a uma determinada situação. Diferente das leis matemáticas, as leis na ciência não são dedutivamente válidas e a conclusão não se segue logicamente das premissas. As premissas apenas fornecem indícios a favor da conclusão, tornando a conclusão mais provável, mas não certa.


Dessa forma, as evidências acumuladas podem fornecer apoio, validação e fundamentação para uma lei ou teoria, mas nunca provarão que essas leis e teorias são verdadeiras. Na realidade, o único conhecimento conclusivo produzido pela ciência resulta quando uma noção é falsificada.


Portanto, tanto leis quanto teorias científicas podem mudar. A mudança não diferencia uma da outra.



Questão 4: teorias científicas não sofrem modificações substanciais a “toda hora”


Apesar das teorias e leis cientificas poderem sofrer modificações, isso não significa que elas mudem substancialmente sua estrutura a “toda hora”. Por exemplo, uma alteração relativamente recentemente na teoria evolutiva estabelece que as mudanças evolutivas não podem ser explicadas exclusivamente pela ação da seleção natural, deriva genética, mutação e fluxo gênico. Até alguns anos atrás, a seleção natural era considerada o principal mecanismo evolutivo, em conjunto com os outros três citados anteriormente.


Mais recentemente, a teoria evolutiva passou a combinar a seleção natural com vários outros mecanismos evolutivos.


Dessa forma, a teoria evolutiva mudou. Mas essa modificação não invalidou o que sabemos sobre seleção natural. As críticas não estão voltadas para a seleção natural em si, mas no alcance explicativo da seleção natural para a evolução da vida como um todo.


Como a teoria evolutiva passa a combinar a seleção natural com outros mecanismos evolutivos, se torna óbvio que ela deverá perder parte de seu poder explicativo.

9,602 visualizações
FIQUE POR DENTRO

Av. Bento Gonçalves 9500, Agronomia - Porto Alegre - RS |  minicursoevolucao@gmail.com